As vanguardas do Modernismo

Antes de falar sobre as vanguardas do modernismo de forma mais específica, é importante ressaltar o significado da palavra “vanguarda”. Esse termo se origina da jargão militar, para designar a frente primeira dos exércitos em uma batalha, mas foi apropriado pelo setor intelectual para definir um movimento inovador, que cria uma nova concepção artística, política, filosófica, por exemplo.

Nesse sentido, as vanguardas do modernismo, também conhecidas como vanguardas europeias, foram movimentos que iniciaram e deram força ao movimento. Dentre as mais importantes e com nomes artisticamente mais relevantes se destacam as vanguardas: futurismo, cubismo, dadaísmo e surrealismo. Vamos à cada uma delas!

O Futurismo foi um movimento artístico do início do século XX centrado na Itália, que enfatizava o dinamismo, a velocidade, a energia e o poder da máquina e a vitalidade, a mudança e a inquietação da vida moderna. Durante a segunda década do século XX, a influência do movimento se espalhou pela maior parte da Europa, mais significativamente pela vanguarda russa. Os resultados mais significativos do movimento foram nas artes visuais e na poesia.

O futurismo foi anunciado pela primeira vez em 20 de fevereiro de 1909, quando o jornal de Paris Le Figaro publicou um manifesto do poeta e editor italiano Filippo Tommaso Marinetti . Marinetti cunhou a palavra Futurismo para refletir seu objetivo de descartar a arte do passado e celebrar a mudança, a originalidade e a inovação na cultura e na sociedade. O manifesto de Marinetti glorificava a nova tecnologia do automóvel e a beleza de sua velocidade, poder e movimento. Exaltando a violência e o conflito, ele pediu o repúdio varrido dos valores tradicionais e a destruição de instituições culturais como museus e bibliotecas. A retórica do manifesto era apaixonadamente bombástica; seu tom agressivo foi propositadamente destinado a inspirar a ira pública e despertar controvérsias.

O Cubismo foi um estilo altamente influente de artes visuais do século XX que foi criado principalmente pelos artistas Pablo Picasso e Georges Braque em Paris entre 1907 e 1914. O estilo cubista enfatizava a superfície plana e bidimensional do plano do quadro, rejeitando as técnicas tradicionais de perspectiva , escorço , modelagem e claro – escuro , refutando as teorias consagradas pelo tempo de que a arte deveria imitar a natureza. . Os pintores cubistas não estavam obrigados a copiar a forma, a textura, a cor e o espaço; em vez disso, eles apresentaram uma nova realidade em pinturas que retratavam objetos radicalmente fragmentados.

O Dadaísmo foi um movimento niilista e antiestético nas artes que floresceu principalmente em Zurique , na Suíça; Nova York ; Berlim , Colônia e Hannover , Alemanha; e Paris no início do século XX.

Várias explicações foram dadas por vários membros do movimento sobre como ele recebeu seu nome. De acordo com o relato mais amplamente aceito, o nome foi adotado no Cabaret Voltaire, de Hugo Ball , em Zurique, durante uma das reuniões realizadas em 1916 por um grupo de jovens artistas e combatentes da guerra que incluíam Jean Arp , Richard Hülsenbeck, Tristan Tzara, Marcel Janco e Emmy Hennings. Quando uma faca de papel inserida em um dicionário francês-alemão apontava para a palavra “dada” em francês, ela foi usada pelo grupo como apropriada para suas criações antiestéticas e atividades de protesto, que foram engendradas por repugnância por valores burgueses e desespero sobre a Primeira Guerra Mundial. O Dadaísmo não constituía um estilo artístico propriamente dito, mas seus proponentes favoreciam a colaboração grupal, a espontaneidade e o acaso.

Por fim, o Surrealismo foi movimento na arte visual e literatura, florescendo na Europa entre a primeira e a segunda Guerras Mundiais. O movimento representou uma reação contra o que seus membros viram como a destruição causada pelo “racionalismo” que havia guiado a cultura e política europeias no passado e que culminou nos horrores da Primeira Guerra Mundial. De acordo com o principal porta-voz do movimento, o poeta e crítico André Breton, que publicou O Manifesto Surrealista em 1924, o Surrealismo era um meio de reunir tão completamente os domínios conscientes e inconscientes da experiência que o mundo do sonho e da fantasia se uniria ao mundo racional cotidiano em “uma realidade absoluta, um surrealismo”.

Na poesia de Breton, Paul Éluard , Pierre Reverdy e outros, o Surrealismo se manifestou em uma justaposição de palavras que foi surpreendente porque foi determinado não por processos de pensamento lógico, mas por processos psicológicos – isto é, inconscientes. Os principais pintores surrealistas foram Jean Arp ,Max Ernst, André Masson ,René Magritte ,Yves Tanguy ,Salvador Dalí ,Pierre Roy, Paul Delvaux e Joan Miró.

× Como posso te ajudar?
Add to cart